Embora seja a principal criptomoeda, a dominância do bitcoin em termos de capitalização do mercado caiu para 57% em setembro, aponta o relatório da Transfero Research. O relatório periódico da equipe de research da Transfero Swiss AG lembra que, por muito tempo, a fatia do bitcoin no mercado era de 65%.

Um dos fatores responsáveis por esse movimento é o boom dos projetos ligados ao DeFi (finanças descentralizadas), diz o texto, cuja íntegra está no Medium da Transfero.

O bitcoin perdeu não só espaço no mercado, mas também nas transações. As operações semanais da criptomoeda líder ficaram para trás em relação às transações de Dólar Tether (USDT). As operações com a stablecoin USDT ultrapassaram em volume as com bitcoin pela primeira vez. De acordo com o relatório, essa mudança marca uma nova fase do ambiente crypto.

A rapidez das transações e as taxas mais baixas para operações com o USDT podem explicar essa opção pela stablecoin em vez do bitcoin, diz o texto. Além disso, cresce a busca por pares de moedas que sejam cotados em USDT e não em bitcoin.

Relatório também avalia o mercado de DeFi

O DeFi aparece também como uma das tendências do mercado financeiro. E o relatório lista, por exemplo, tipos de projetos de DeFi, além dos benefícios que esta tecnologia pode trazer para o mercado.

O relatório da Transfero analisa, ademais, a forte relação de dependência entre o bitcoin e os mercados tradicionais.  Segundo o texto, esta dependência que marcou o ano de 2020. Além disso, ele explica qual a ligação entre esse movimento e a pandemia de Covid-19.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
A Transfero investe em pesquisa e educação para capacitar investidores