O staking ou stake de criptomoedas consiste em travar alguns criptoativos e receber “recompensas” por isso. Essa tem sido uma alternativa de investimentos após o boom das plataformas de DeFi. Além de ajudar no processo de validação dos blocos das moedas que trabalham no proof-of-stake.

Uma das plataformas que permite fazer o stake de criptomoedas é a FTX. A plataforma suporta o stake do token nativo FTT, que dá algumas vantagens para o usuário. Entre elas, bônus na indicação, descontos na taxa de maker, poder de voto adicional e recompensas via airdrop.

Veja como fazer o stake de FTT na plataforma:

1ª Etapa – Acesse https://ftx.com/markets e escolha seu par FTT

2ª etapa – Vá para a página FTT (https://ftx.com/ftt) ou clique em “FTT” na barra superior

3º passo – Role para baixo até “Stake FTT” e clique em “Stake”

4ª etapa – Coloque o valor e clique em “Stake”

Quais são as recompensas do stake de crypto?

Fazer stake de FTT oferece alguns benefícios. São eles: aumento das taxas de afiliado, desconto na taxa de maker (ordem limite) além do padrão, votos bônus, maior recompensa de airdrop e dispensa de algumas taxas.

Como fazer o Unstake de criptomoedas?

Para fazer o unstake de criptomoedas é preciso solicitar na plataforma, do mesmo jeito que se faz o stake. No caso do FTT, o prazo para unstake é de 14 dias. Ou seja, após a solicitação, o ativo demora 14 dias para estar liberado novamente para negociação na plataforma.

O que é o FTT Token?

O FTX Token (FTT) é a espinha dorsal do ecossistema FTX, que cria esquemas de incentivo para aumentar os efeitos da rede e a demanda por FTT, bem como diminuir seu suprimento circulante.

Por que existe o stake de crypto?

Enquanto criptomoedas como o bitcoin dependem da mineração, outras usam um método diferente, chamado de staking. Em linhas gerais, o staking consiste em travar alguns criptoativos e receber “recompensas” conforme fatores como o montante que ficou na plataforma.

As blockchains que trabalham com o staking funcionam com o protocolo Proof-of-Stake (PoS) — em contraste com o Proof-of-Work (PoW) do bitcoin – para alcançar o consenso. O algoritmo de Proof of Stake usa um processo de eleição pseudo-aleatória para selecionar um nó (node) para ser o validador do próximo bloco, com base em uma combinação de fatores que podem incluir a idade da participação, a randomização e a riqueza do nó.

Nesses sistemas, portanto, os novos blocos são “construídos” e não minerados, como no caso do bitcoin. Nos sistemas baseados em Proof of Work, mais e mais criptomoedas são criadas como recompensas para os mineradores. Já no sistema de Proof of Stake, geralmente usam-se taxas de transação como recompensa.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.