Fazer uma reserva de valor é uma iniciativa importante para proteger o seu patrimônio de oscilações econômicas. Assim, em situações em que o dinheiro se desvaloriza rapidamente, você tem uma garantia de que aquele valor reservado, normalmente em forma de bens e ativos que não sejam corroídos pelo cenário econômico, está preservado.

O que é reserva de valor?

Esse é o conceito de reserva de valor – manter seu capital protegido da desvalorização econômica, preservando seu poder de compra.

Justamente por isso o bitcoin tem sido considerado uma das principais alternativas para reserva de valor. Assim como o ouro, sua característica de escassez faz com que ele tenha tendência de valorização no longo prazo. Afinal, como a emissão do criptoativo está restrita a 21 milhões de unidades, quanto mais pessoas entram no mercado, mais limitada fica sua oferta e, por consequência, maior seu valor.

Já as moedas convencionais (dinheiro fiduciário) podem ser impressas pelos respectivos emissores em quantidades ilimitadas, o que gera inflação. Mesmo moedas como dólar e euro correm tal risco, o que não ocorre com o bitcoin.

O que é e por que o bitcoin é uma boa alternativa?

O bitcoin é um ativo digital, ou criptomoeda, descentralizado. Isto significa que seus usuários não necessitam de terceiros, como bancos, para fazer transações.

De acordo com a equipe de Asset da Transfero, mediante um cenário de aversão ao risco, como crises políticas e econômicas, o bitcoin, como reserva de valor, tende a se fortalecer.

“Além disso, percebemos uma adoção cada vez maior da comunidade internacional e das grandes instituições trazendo para o mercado mais liquidez, acessibilidade e confiabilidade. Como exemplo, temos o caso de El Salvador, que classificou o bitcoin como uma moeda legal do país, evidenciando sua liquidez internacional”, apontaram os especialistas da Transfero.

Mesmo com volatilidade, o bitcoin pode ser uma reserva de valor?

Sim, desde que analisado em um prazo de tempo maior. Como explicamos, a característica de oferta limitada garante que ele se valorize ao longo do tempo, mesmo com volatilidade em determinados momentos.

Até mesmo o Goldman Sachs acredita que o bitcoin pode se tornar uma reserva de valor. Segundo o banco, a capitalização do bitcoin deverá se expandir nos próximos anos, com o aumento da adoção de criptoativos no mundo.

O ouro também é uma reserva de valor?

Ao longo do tempo, o ouro vem sendo usado como reserva de valor, em decorrência da sua característica de escassez na natureza. No entanto, vale destacar que o ouro teve 4,43% de rentabilidade em 2021; enquanto isso, o bitcoin teve alta de 7,39%, sendo considerado o melhor investimento do ano.

Além de El Salvador, mais dois países usam bitcoin como reserva de valor

De acordo com o Bitcoin Treasuries, além de El Salvador, que adotou o bitcoin como moeda de curso legal, outros dois países possuem o criptoativo, que é utilizado como reserva de valor. A Ucrânia lidera a lista, com 46.351 bitcoins. El Salvador possui 1.391 bitcoins e Georgia apenas 66 bitcoins.

Na mesma página, é possível também conferir a lista de empresas que escolheram o bitcoin como estratégia para preservação de capital – sendo que a MicroStategy e a Tesla estão na liderança, com, respectivamente, 125.051 bitcoin e 43.200 bitcoin. Isso mais que demonstra a crescente adoção da criptomoeda.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.