Apesar de ninguém saber exatamente qual será o futuro do bitcoin, a perspectiva é de que surjam novos usos para a criptomoeda e que ela se valorize cada vez mais. Mesmo que ocorram quedas temporárias, o ativo vem ganhando força. Recentemente, ele ultrapassou US$ 1 trilhão em capitalização de mercado e a máxima histórica já bateu em US$ 58 mil.

A recente ascensão se deve ao fato de que a moeda passou a integrar grandes fundos de investimento e ser aceita em plataformas de pagamento, como o PayPal. No entanto, é difícil prever a valorização do bitcoin em um período predeterminado de tempo. Apesar disso, o site especializado CoinDesk publicou um estudo avaliando os possíveis cenários para a criptomoeda em 2030. 

Veja os cenários otimistas para o futuro do bitcoin

A análise do CoinDesk mostrou 12 possíveis tendências para a criptomoeda, entre cenários conservadores, positivos e negativos – e alguns um tanto improváveis, como o último de nossa lista otimista. Confira primeiro as 5 perspectivas mais promissoras!

1. Moeda virtual

O bitcoin pode evoluir para a moeda natural da Internet, sendo utilizado para compras e transações online. Isso permitiria que as empresas locais alcançassem clientes globais.

2. Compras offline

Apesar da volatilidade, é possível que a moeda possa ser utilizada também em compras físicas, por meio de pagamentos digitais. Isso porque, até 2030, a perspectiva é de que as oscilações se reduzam.

3. Transações mais econômicas

Quer fazer uma transferência de um montante elevado (por exemplo, US$ 20 milhões) ou enviar um valor muito pequeno a alguém? O bitcoin poderá ser uma alternativa no futuro, com menores custos operacionais.

4. Expansão do uso

O bitcoin pode se tornar uma das moedas mais usadas no mundo. Porém, à medida que a criptomoeda ganha destaque nas transações, sua capacidade e poder se reduzem.

5. Crypto-transações via satélite

O maior aspirante a colonizador de Marte, Elon Musk, é um entusiasta do bitcoin. Fundador da SpaceX e CEO da Tesla, ele não descarta o uso da moeda virtual em transações via satélite, inclusive em uma suposta possibilidade de colonização no planeta vermelho

Entenda os 5 cenários negativos

1. Dificuldades regulatórias

O maior risco para o bitcoin é a regulamentação global. Se os líderes mundiais se reunirem para criar uma política unificada sobre criptografia, e todos concordarem em eliminá-las, o impacto poderá ser devastador.

2. Restrições governamentais

Nesse cenário, os governos não chegam a uma proibição total, mas evitam que as pessoas usem as exchanges. Mais especificamente, eles impedem que os usuários retirem seus fundos. Isso poderia levar à criação de um bitcoin no mercado negro, com maior valor do que a moeda tradicional.

3. Tributação

E se as pessoas passassem a ter que pagar impostos sobre o ganho de capital com bitcoins? Possivelmente, a moeda passaria a não ser tão interessante para os investidores. No entanto, no Brasil já é preciso declarar e pagar impostos sobre ganhos com bitcoin

4. Quebra

O bitcoin nunca foi hackeado e é mais confiável do que as instituições bancárias. Embora isso seja improvável, a sua segurança pode ser comprometida. Porém, especialistas consideram esse cenário improvável, uma vez que à medida que aumentam os ataques, a capacidade tecnológica da defesa também se torna mais segura.

5. Criação de outra moeda digital global

Essa é uma alternativa totalmente hipotética, mas, e se o Fundo Monetário Internacional (FMI) criar uma nova moeda global? A ideia não é nova e o FMI já a considerou. Porém, supondo que cada nação precise concordar em limitar sua impressão monetária a 2% ao ano, isso acabaria com a principal qualidade do bitcoin, que é a escassez. 

Confira as perspectivas conservadoras

Além dos cenários otimistas e pessimistas, o estudo projeta duas possibilidades de mercado mais estáveis (ou cuja avaliação dependa de fatores bastante específicos). 

1. Bitcoins se tornam “ouro digital”

A visão é otimista, mas nada diferente do que já acontece hoje. Esse é o cenário mais simples da pesquisa, que mantém a trajetória atual do bitcoin. Ou seja, a tendência se mantém. 

2. Incertezas permanecem

Dependendo do ponto de vista, essa perspectiva pode ser entendida como otimista ou pessimista. A ideia é de que apenas 13% da população vive sob democracias liberais com um sistema monetário estável ou de reserva. Os demais 87% precisam ter uma moeda que funcione além da especulação. 

E você? Qual a sua opinião sobre o futuro do bitcoin? Se ainda acha que essa é uma moeda especulativa, continue a leitura e saiba que investir em criptomoedas é muito mais que especulação!

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
Ativos alternativos crescem como opções de diversificação de portfólio