A restrição da China envolvendo transações com criptoativos impulsionou o mercado de Finanças Descentralizadas (DeFi). Recentemente, uma exchange descentralizada (DEX) registrou um volume diário de transações superior às negociações da Coinbase.

Ao mesmo tempo em que teve um volume diário de quase US$ 3,7 bilhões registrado na última segunda-feira (27), a DEX DydX viu sua moeda DYDX disparar 35% no mercado.

Criada pelo ex-funcionário da Coinbase, Antonio Juliano, essa é a primeira vez que a exchange descentralizada ultrapassa o volume de negociação diário da Coinbase, uma das maiores exchanges do mundo.

Exchange descentraliza cresce e ultrapassa Coinbase

O mercado de criptoativos presenciou o crescimento impressionante da DEX DydX, que nesta segunda-feira (27) esteve no ranking entre as maiores exchanges por volume de negociação no mercado.

De acordo com um tweet do criador da DydX, a plataforma teve um volume de negociação de US$ 3,68 bilhões em apenas 24 horas. Com esta movimentação diária, a DEX ultrapassou o volume registrado pela Coinbase no mesmo período.

No total, a Coinbase teve um volume de US$ 3,61 bilhões no mesmo período. Segundo Antonio Juliano, essa é a primeira vez que a DydX ultrapassa a Coinbase em volume diário de negociação.

“Cinco anos atrás eu saí da Coinbase e fundei a DyDX. Hoje, pela primeira vez, a DyDX está tendo mais volume de negociação do que a Coinbase.”

China restringe transações com criptoativos

Recentemente, a China decidiu restringir as transações envolvendo a compra e venda de criptoativos no país. Em um posicionamento contra o mercado, o Banco Popular da China (Banco Central) emitiu um comunicado no dia 24 de setembro de 2021 sobre a restrição.

Como consequência disso, o mercado cripto despencou logo após o comunicado da China, com o preço do bitcoin ameaçando perder o importante suporte de US$ 40 mil.

Além da influência na desvalorização dos preços das principais criptoativos na última semana, a restrição da China já afeta empresas centralizadas como a Huobi. A exchange anunciou que encerrará todas as contas de usuários do país asiático.
Por outro lado, a restrição chinesa não pode afetar diretamente plataformas como a DydX, que é uma exchange descentralizada.

Sem a necessidade de um controle centralizado para operar, a DydX confirma transações através de contratos inteligentes sem intermediários, executados diretamente entre os usuários. Essa facilidade permitiu que a plataforma alcançasse quase US$ 3,7 bilhões em transações, ultrapassando exchanges tradicionais no mercado como a Coinbase.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.