Conhecido por idealizar o modelo stock-to-flow (S2F) do bitcoin, indicador que também é usado como referência no caso de outros ativos, como ouro e metais preciosos, baseado em fluxo e escassez, Plan B prefere manter sua verdadeira identidade no anonimato.

O pseudônimo, segundo o próprio Plan B, refere-se à ideia de um plano alternativo ao dinheiro fiduciário, emitido pelos bancos centrais, “que trazem taxas de juros negativas e desvalorização das moedas”. Em sua página, PlanB@100trillionUSD, ele explica, ainda, que os US$ 100 trilhões são uma referência à hiperinflação do Zimbábue em 2008, que chegou a emitir notas de 100 trilhões de dólares zimbabuanos.

Na mesma página, ele ainda afirma ser um investidor institucional holandês, com 25 anos de experiência em mercados financeiros, especialmente em finanças jurídicas e quantitativas e “fascinado por modelagem de risco e retorno”.

O que é o stock-to-flow?

Na verdade, o modelo já era tradicionalmente utilizado nos mercados de commodities para calcular o preço com base no fluxo do suprimento. Porém em março de 2019, Plan B o adaptou para o bitcoin, combinando indicadores on-chain e a fórmula para estabelecer o preço mínimo do ativo ao longo do tempo.

Assim, o modelo Stock-to-Flow para o BTC utiliza o princípio da escassez para quantificar o valor do criptoativo. Um ano depois, Plan B introduziu o modelo Stock-to-Flow Cross Asset (S2FX), incluindo outros ativos que também são escassos, como ouro, prata, diamante e imóveis.

No caso das commodities, o indicador mede a oferta atual circulante, dividida pela produção anual. Da mesma maneira, o bitcoin é um ativo digital escasso. A cada halving, que ocorre a cada 210 mil blocos minerados, a emissão de novas moedas é cortada pela metade.

Além disso, o BTC tem um limite de emissões – fixado em 21 milhões de unidades, das quais cerca de 19 milhões já foram mineradas, o que faz com que ele esteja próximo de seu limite.

Com base nesse raciocínio, Plan B acabou se tornando conhecido pelas predições mais consistentes a respeito da cotação do bitcoin.

YouTube retirou da rede entrevista com Plan B

Em entrevista concedida ao canal do trader e analista Anthony Pompiliano, em outubro, Plan B afirmou que o topo do ciclo da alta atual deve ocorrer entre março e abril de 2022, levando o bitcoin a até US$ 288 mil.

No entanto, logo após a entrevista (ao vivo), o YouTube retirou do ar o canal de Pompiliano alegando “violação das políticas de segurança da plataforma”, segundo o CoinTelegraph. A medida gerou polêmica e, algumas horas depois, o vídeo voltou ao ar – agora intitulado “Entrevista sobre bitcoin que o Youtube tentou deletar“.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.