Desde maio deste ano, a Sony já vem demonstrando publicamente seu interesse por criptomoedas, especialmente pelo bitcoin. Na ocasião, uma patente registrada pela gigante japonesa mencionava um sistema que permitiria apostar em eventos de e-sports ao vivo com moedas tradicionais e digitais, como o BTC.

Agora, conforme nota divulgada pelo Livecoin, a Sony pediu ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) o registro da marca PlayStation no Brasil, incluindo também a possibilidade de transações com criptoativos entre os jogadores.

A solicitação foi feita em 31 de agosto e o órgão de registro poderá receber oposições por até 60 dias a partir desta data, antes de conceder a patente. De qualquer maneira, o interesse da Sony é bastante claro. No pedido, a empresa inclui, entre as especificações da marca, a “negociação de criptomoedas para uso por membros de uma comunidade online por meio de uma rede mundial de computadores; serviços de troca de criptomoedas para uso por membros de uma comunidade online por meio de uma rede mundial de computadores”.

Jogos play to earn

A Sony não é a única empresa de games interessada em criptoativos – atualmente o setor vê um crescimento de opções de jogos construídos em blockchain, que utilizam tokens não fungíveis (NFTs) e permitem negociações entre os gamers, com ganhos em dinheiro real.

Um exemplo disso é o Axie Infinity, cujo token valorizou mais de 7.000% em 2021, além do recém-anunciado Star Atlas, construído na plataforma da Solana.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.