Setor de criptomoedas e blockchain vive um novo momento

Setor de criptomoedas e blockchain vive um novo momento

Mercado evolui para uma nova fase com maior segurança e aderência às diferentes regulações de diversos países. Isso dará mais segurança aos investidores como um todo

Setor de criptomoedas e blockchain vive um novo momento

Por Redação

O setor de ativos digitais descentralizados e blockchain vive um novo momento. Essa é a avaliação de players desse mercado que participaram nesta quarta-feira (28/8) do primeiro dia do Forum Blockmaster, em São Paulo (SP). Após o hype de 2017 e 2018, neste ano tem surgido diversas iniciativas no sentido de deixar as empresas e iniciativas mais aderentes às diferentes regulações nacionais.

Por exemplo, há uma nova onda de emissão de tokens de uma forma mais regulada, concomitante com o fim da hype dos ICO. “Os ICOs foram um grande MVP de que era possível captar recursos em nível global, agora o momento é outro”, avalia Bernardo Quintão, da Liquia Digital Assets.

Outro exemplo é o aparecimento das exchanges reguladas e dos primeiros Initial Exchanges Offering (IEO). Ou seja, emissão de tokens por meio de exchanges. Esse modelo tem se mostrado mais atrativo para as partes interessadas.

Por outro lado, órgãos internacionais têm tratado do assunto de forma responsável. O FATF, ligado ao G20,  tem recomendado maior controle do destino das criptomoedas com o objetvo de combater o uso desses ativos para lavagem de dinheiro ou terrorismo.

“As criptomoedas são muito mais rastreáveis para este fim do que o dinheiro comum”, opina o advogado Hélio Moraes, da Pinhão e Koiffman Advogados.

+Leia também:
– Entenda o que são e como funcionam os ICOs
– ABCB defende exchange brasileira excluída por cooperativa

Novo momento da regulação da blockchain

Reguladores financeiros ao redor do mundo também tem feito a sua parte. A Finma, da Suíça, deu licença para dois bancos crypto naquele país recentemente e emitiu concomitantemente orientações de pagamentos na blockchain. Na outra ponta, o investimento institucional está chegando cada vez mais forte. Os exemplos são muitos, como Morgan Creek, JP Morgan, Julius Bank, Fidelity e a Bakkt.

Em resumo, o mercado confirma a nossa visão de que o setor de blockchain passou nos últimos anos por um forte amadurecimento e já é mainstream. Não só as fintechs estão crescendo nesse mercado, mas também os gigantes do setor financeiro, ainda que a passos mais lentos.