Mínimas anuais do bitcoin mostram alta de 102% ao ano

Mínimas anuais do bitcoin mostram alta de 102% ao ano

Análise da cotação do bitcoin pelas mínimas anuais em reais mostra tendência de crescimento da criptomoeda e investidores que não vendem

Mínimas anuais do bitcoin mostram alta de 102% ao ano

Por Redação

O bitcoin subiu 96,2% em 2019, considerando a cotação em reais. Ou seja, quem entrou no mercado do início do ano quase viu seu capital dobrar. A primeira e maior criptomoeda fechou o ano em R$ 29.201, 00. Mas existe uma outra maneira de se analisar a cotação dessa criptomoeda: pelas mínimas anuais.

Em 2019, a mínima anual do bitcoin ficou praticamente igual à mínima do ano anterior, com uma queda de 0,33%. No entanto, levando em conta as cotações históricas em reais, o BTC acumula um crescimento médio de 101,71% ao ano desde 2013. Além disso, 2015 e 2019 foram os únicos anos em que a mínima histórica ficou abaixo da mínima do ano anterior. Nos dois anos seguintes a 2015, por exemplo, as mínimas do bitcoin subiram 243,94% e 60%, respectivamente.

Isso significa dizer que quem entrou e saiu nos piores momentos possíveis do mercado nestes dois anos ainda conseguiram um retorno mínimo de 60%. A cotação pelas mínimas anuais ajuda também a visualizar os investimentos que estão segurando as criptomoedas, que não vendem em busca de uma valorização maior.

Veja as mínimas históricas do bitcoin em reais, de acordo com dados do Investing.com.

2013 – R$ 185
2014  – R$ 730,1 (294,65%)
2015  – R$ 453,30 (-37,91%)
2016  – R$ 1.559,1 (243,94%)
2017  – R$ 2.500 (60,35%)
2018  – R$ 12.501,00 (400,04%)
2019  – R$ 12.460,30 (-0,33%)