Um novo projeto de peso pode acabar se tornando a maior fazenda de mineração de Bitcoin do mundo. A expectativa é que o novo data center inicie as atividades com 300 megawatts e expanda para 1 gigawatt até o final do próximo ano. Com isso, superaria a fazenda de mineração da Bitmain, no Texas, que atingiu 300 megawatts em sua maior fase.

O data center custará US$ 150 milhões para ser construído e operado. A unidade chegaria à capacidade máxima até 2020, com 300 megawatts de energia programados para entrar em operação no primeiro trimestre e os 1 gigawatt total programados para serem atingidos no quarto trimestre.

O desenvolvedor do data center Whinstone US, que possui uma fazenda de mineração de bitcoin na Louisiana e está construindo outras na Holanda e na Suécia, montou o projeto em parceria com a GMO Internet, a versão japonesa do GoDaddy. Uma semana após o anúncio, a empresa foi vendida para a Northern Bitcoin da Alemanha, que administra uma fazenda de mineração de bitcoin na Noruega com recursos renováveis.

Futura maior fazenda de mineração do mundo já tem clientes

A Northern Bitcoin afirmou ainda que já assinou contratos com dois clientes que “usarão uma parcela significativa da capacidade de mineração de Bitcoin”. No entanto, a empresa não revelou os nomes dos parceiros.

Em um comunicado conjunto anunciando a operação , Aroosh Thillainathan, co-fundador da Whinstone US, disse ainda que o acordo pode “moldar o curso futuro da indústria global de mineração”. Já o CEO da Northern Bitcoin AG, Mathis Schultz, ressaltou que a fusão “catapulta” a empresa lançada em 2018 para o topo do mercado, mais rapidamente do que o planejado. 

Com informações da Coindesk.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.