Robinhood, Circle e Coinbase, entre outras, são empresas do universo crypto que estão fazendo ofertas públicas de ações (ou IPO, no termo em inglês), transformando-se em companhias de capital aberto com papéis negociados no pregão da Bolsa de Valores.

O objetivo das organizações, ao adotar tal estratégia, vai desde a necessidade de captação de recursos e melhoria de liquidez até a conquista de maior credibilidade no mercado, em função da transparência proporcionada pelo capital aberto. Confira algumas empresas do mercado crypto que já anunciaram ou têm planos para abrir seu capital a investidores.

1. Circle

A fusão da Circle com a Concord Acquisition Corp, uma Companha com Propósito Especial de Aquisição, ou SPAC, na sigla em inglês, fez com que a Circle passasse a ser avaliada US$ 4,5 bilhões, segundo a Cointelegraph. Conforme a publicação, a nova companhia deve estrear na Bolsa de Valores de Nova York ainda este ano. Vale explicar que as SPACs são empresas que levantam capital para adquirir um negócio e, então, lançá-lo na bolsa.

2. Ripple

O CEO da SBI Group, Yoshitaka Kitao, maior acionista da Ripple Labs, afirmou que a empresa planeja abrir seu capital em breve. “Nos próximos meses, veremos vários IPOs de empresas do universo crypto ou de blockchain”, disse ele, segundo matéria do jornal DCI.

3. Coinbase

Em abril, a empresa foi a primeira a anunciar seu IPO de criptomoedas, segundo publicação do Jornal Contábil. De acordo com a página, até dezembro de 2020, a Coinbase gerou mais de US$3,4 bilhões em receita total desde o seu início, em 2012. A empresa tem 56 milhões de usuários e atende 7.000 clientes institucionais e 115.000 parceiros do ecossistema em mais de 100 países.

4. Robinhood Markets

Em julho, a Robinhood Markets, uma das maiores corretoras online dos Estados Unidos, entrou com pedido para realizar seu IPO. Na ocasião, ela revelou que a Dogecoin foi responsável por 34% de sua receita com transações de criptomoedas no primeiro trimestre de 2021. A pretensão da empresa é levantar US$ 100 milhões, de acordo com a Exame.

5. Core Scientific

Uma das maiores mineradoras de criptomoedas dos Estados Unidos, a Core Scientific anunciou em 21 de julho que planeja ser listada na bolsa Nasdaq em um negócio que a avalia em US$ 4,3 bilhões. Na primeira metade deste ano, a empresa minerou 1.683 bitcoin.

A empresa com sede na Geórgia, que também vende software e hardware de blockchain, revelou que espera uma receita total de US$ 493 milhões e lucro ajustado de US$ 203 milhões este ano, seguido por receitas de US$ 1,1 bilhão e ganhos de quase US$ 600 milhões em 2022. Segundo os planos da companhia, os acionistas existentes reterão suas participações, que somam cerca de 89%, na empresa resultante da fusão.

6. Argo Blockchain

Também mineradora de bitcoin, a empresa ( já listada na Bolsa de Valores de Londres) anunciou seus planos para abertura de capital nos EUA, dizendo que protocolou um prospecto confidencial na Comissão de Valores Mobiliários com uma proposta de listagem, segundo a Forbes.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.