Quem, entre as empresas, tem mais bitcoin no mundo? Na semana que passou, a Tesla anunciou a compra de US$ 1,5 bilhão em bitcoins. A empresa de Elon Musk se soma a outras instituições que têm reservas da criptomoeda. Isso representa 7,7% das reservas da empresa em dinheiro no quarto trimestre de 2020.

O maior defensor de que as empresas tenham bitcoins em caixa é Michael Saylor, fundador da MicroStrategy. A empresa de análise de negócios tem hoje 71.079 bitcoins, de acordo com dados do Bitcoin Tresuries. Isso equivale a mais de US$ 3,7 bilhões, na cotação do dia em que esta reportagem foi escrita. A companhia alcançou esse total após comprar 295 bitcoins em fevereiro.

Mostrando que seu interesse no bitcoin é também pessoal, o fundador da companhia disse que tinha, em outubro de 2020, 17.732 BTC.

O mercado prevê a decisão da Tesla pode estimular outras grandes empresas a seguirem pelo mesmo caminho. Já há quem fale na adesão de nomes como Apple e Amazon.

Fundos de investimento estão entre companhias que têm mais bitcoin no mundo

Outra empresa que compõe o top 9 é a Galaxy Digital Holdings, um banco comercial com foco em crypto. A instituição, criada em 2018, tem 16.402 bitcoins.

A lista, no entanto, inclui também fundos de investimentos. O principal deles é o Grayscale Investments. Segundo o DeCrypt, o Grayscale tem o maior portfólio de bitcoin entre as plataformas de investimento institucional. Seu Grayscale Bitcoin Trust, por exemplo, faz a gestão de mais de US$ 30 bilhões em bitcoins. A Grayscale em si controla 656.166 bitcoins, ou seja, a companhia tem sob seu guarda-chuva mais de 3% do estoque total do bitcoin.

Com 69.730 bitcoins, o CoinShares Group garantiu seu lugar na lista. Embora seja uma quantia considerável, quando comparados à Grayscale, seus bitcoins representam bem menos da fatia total do mercado: pouco mais de 0,3%. Uma fala recente do CEO da CoinShares deu um exemplo da mudança de mentalidade das companhias em relação ao bitcoin. “Investidores costumavam considerar um risco alocar (recursos) no bitcoin. Agora, é um risco não alocar no bitcoin”, afirmou o executivo em comunicado.

Proteção contra desvalorização de moedas

Enquanto isso na Inglaterra, a Ruffer Investment Company tem 45 mil BTC. A companhia alocou, em dezembro de 2020, 2,5% de seu Multi-Strategies Fund no bitcoin. Na ocasião, a empresa argumentou que a criptomoeda seria uma política de proteção “contra a contínua desvalorização das principais moedas do mundo”.

Já a gestora canadense 3iQ controla 23.363 BTC. A gestora — dona de uma stablecoin lastreada em dólares canadenses — tem um fundo de bitcoin, que começou a ser negociado na bolsa de Toronto em abril de 2020. E chegou à Gibraltar Stock Exchange em setembro.

O ETP do ETC Group Bitcoin está atrelado a um fundo que tem 13.438 bitcoins. Os ETPs são produtos financeiros que acompanham o desempenho de um ativo ou instrumento financeiro.

Outro fundo que vem apostando no bitcoin é o Bitwise 10 Crypto Index Fund. Apesar de recente — foi lançado em dezembro de 2020, ele já tem 11.430 BTC em sua carteira. Primeiro fundo crypto negociado em bolsa nos EUA, ele acompanha as dez maiores criptomoedas, e os investidores podem comprar ações que representam esses tokens.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.