Fundos de hedge crypto superaram fundos tradicionais em 2019, segundo análise das firmas Eurekahedge and HFR publicadas no portal IHODL. Os primeiros registraram 16,33% em retorno naquele ano, contra 10,4% dos segundos.

Os fundos de hedge vêm, inclusive, compondo o portfólio de investidores institucionais que buscam melhorar seus portfólios de ativos. Recentemente, um fundo de pensão do sistema de aposentadoria de Fairfax, no estado norte-americano da Virgínia, alocou parte de seus ativos em criptomoedas.

No Brasil, os fundos de hedge da Transfero se destacaram em 2019 em relação a seus pares. Em 2019, o fundo de gestão mais ativa da Transfero (Advanced) foi o de melhor desempenho, retornando 190% ao investidor com sua gestão ativa de compra e venda de tokens usando modelos matemáticos, afirma a publicação.

A vantagem de se investir em fundos de criptomoedas é que muitas vezes eles conseguem amortecer a volatilidade do mercado de criptomoedas, que ainda é bastante alta. E permite também ganhos muitas vezes acima do próprio mercado.