A exchange FTX recebeu, em 20 de julho, um aporte de US$ 900 milhões em investimentos, com a participação de empresas como Sequoia Capital, Paradigm, Softbank e Coinbase Ventures, entre outras. No total, mais de 60 investidores participaram da arrecadação de fundos de Série B – considerada a mais relevante de todos os tempos para uma empresa do mercado crypto.

Com isso, a FTX passou a ser avaliada em US$ 18 bilhões, o que é um marco significativo para uma empresa que, há cerca de um ano, valia US$ 1,2 bilhão. De acordo com o comunicado oficial da exchange, a captação permitirá a expansão de sua oferta de produtos e aumento da base de usuários, por meio de investimentos estratégicos e aquisições de outras empresas do setor.

Aporte na FTX será usado na expansão do negócio

“O principal objetivo da rodada de investimentos foi encontrar aliados estratégicos que possam ajudar a FTX a expandir sua marca, mas o capital será usado, principalmente, para aquisições”, disse o fundador e CEO da empresa, Sam Bankman-Fried, de acordo com reportagem da Forbes.

Lançada em maio de 2019, a FTX tem como principal diferencial a oferta de funcionalidades e produtos de investimento sofisticados, acessíveis mesmo para investidores com baixa experiência no mercado. Com mais de um milhão de usuários registrados, sua média diária de volume de negociação é superior a US$ 10 bilhões.

A empresa tem conquistado cada vez mais visibilidade, com ações como o patrocínio de nomes como a Major League Baseball e o time de e-sports TSM, ou a nomeação de Tom Brady como seu embaixador (e de Gisele Bundchen, casada com o atleta, como consultora de iniciativas ambientais e sociais). Além disso, em março deste ano, a FTX adquiriu por 19 anos os direitos de nome da arena do time Miami Heat, da NBA, por US$ 135 milhões.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.