A prefeitura do Rio de Janeiro vai levar o carnaval para o metaverso. A partir de 2023, segundo planos da Riotur, a folia da Marquês de Sapucaí também vai acontecer no espaço digital, com direito a fantasias e desfiles das escolas para quem estiver naquele ambiente. 

A presidente da Riotur, Daniela Maia, confirmou ao PanoramaCrypto que as conversas para levar o carnaval para o metaverso estão se iniciando, mas já tiveram aprovação das instâncias municipais. “A ideia inicial é de iniciar as vendas de ingresso no metaverso quando as vendas físicas para as Escolas de Samba acabassem”, disse Maia. 

Sapucaí digital

“ Seria uma forma de quem está no Japão, por exemplo, desfilar na Mangueira ou na Portela. Eles poderiam entrar na avenida, ter uma fantasia, e desfilar… Tudo num ambiente digital”, explicou Maia. De acordo com a presidente da Riotur, tanto a prefeitura quanto a LIESA (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) participam da conversa. 

realidade virtual carnaval
Maia explica que o formato digital também abarcaria os patrocinadores do Carnaval. O que a prefeitura está analisando agora é em qual plataforma faz sentido recriar a Sapucaí. “É uma tecnologia muito nova, mas é importante avançar dentro desse espaço. Até porque, todos vão estar nele em pouco tempo”, disse Maia. O metaverso poderá ser criado utilizando a tecnologia blockchain. 

NFT para o Carnaval 

Outro projeto dentro do mundo cripto é criar NFTs tanto de imagens históricas das escolas de Samba, quanto de obras de artistas cariocas. O projeto quer se juntar à iniciativa do Museu do Samba em transformar a festa da Sapucaí em obras de arte para colecionadores. 

Segundo Daniela Maia, a prefeitura fez parcerias com nomes da fotografia como VIk Muniz, para dar um outro olhar ao carnaval carioca por meio de fotos. As imagens vão compor exposições e livros. E é nesse ponto que entrariam os NFTs num primeiro momento: para ser a versão digital desses bens físicos.  “Há possibilidade dessas imagens, criadas por fotógrafos renomados, também serem convertidas em NFT”, afirmou Maia. 

Clube do Carnaval no Metaverso

Essas não é a primeira vez que a  prefeitura do Rio de Janeiro apresenta iniciativas voltadas para o mercado cripto. Há um mês, o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação do Rio de Janeiro, Chicão Bulhões, disse em entrevista ao PanoramaCrypto, que a cidade já planeja o lançamento da CarioCoin, o criptoativo oficial do Rio de Janeiro. 

A ideia de um Clube Digital cripto também está avançando dentro da prefeitura do Rio de Janeiro. O Clube é uma forma de juntar não só turistas e amantes da cidade, como também possíveis microinvestidores para os patrimônios cariocas. “Esse é o formato mais embrionário de todos. Será um Clube de Cidades, onde os membros poderiam ter acesso a NFts. Mas também artes digitais e ingressos para festividades”, disse Maia. 

Todas as iniciativas para unir o digital ao físico, diz Maia, acabam por dar mais valor para o Turismo na capital do Rio de Janeiro.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.