O Office of the Comptroller of the Currency (OCC), órgão regulador bancário dos Estados Unidos, quer juntar bancos e empresas crypto para avaliar como os dois podem interagir e colaborar mutuamente. Uma das possibilidades é sondar com os bancos o interesse em atuar como custodiantes crypto no futuro. Essas alternativas estão em um anúncio feito pelo novo presidente da OCC, Brian Brooks, que já foi diretor Jurídico da exchange Coinbase.

“Não temos uma opinião sobre isso e não quero fazer um pré-julgamento sobre essa possibilidade, mas é certamente um interesse meu devido à minha atuação passada no setor”, afirmou ao Cointelegraph. O executivo também pretende analisar o papel das stablecoins no sistema financeiro.

O aviso divulgado pelo órgão pede aos bancos e líderes da indústria crypto que respondam a uma série de perguntas. Entre elas, estão: em quais atividades relacionadas a criptomoedas empresas de serviços financeiros ou clientes bancários estão envolvidos? Outra diz: quais são as barreiras ou obstáculos para a adoção futura de atividades relacionadas a crypto no setor bancário?

Em declarações ao Cointelegraph, Brian Brooks descreveu o anúncio como uma tentativa de preencher a lacuna entre finanças e crypto. “Como o regime de criptomoedas precisa de serviços bancários, buscamos conhecer maneiras pelas quais uns podem contribuir com os outros”.

Bancos como custodiantes crypto são só uma camada dos regulamentos crypto

Os reguladores nos EUA e no exterior têm olhado cada vez mais para o mercado de criptoativos. A China, por exemplo, já tem um roadmap para emitir uma moeda digital própria. Os EUA estão adotando uma série de medidas apertando o cerco contra operações ilegais para favorecer a adoção da blockchain e das criptomoedas. A CVM, no Brasil, aprovou recentemente o sandbox regulatório crypto, que vai permitir uma maior inovação nesse segmento.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
Um token pareado ao Real Brasileiro