Você sabe quais são as diferenças entre utility tokens, coin tokens e security tokens? Recentemente, o token Chiliz chamou a atenção do mercado por uma expressiva valorização e este é um exemplo bastante atual de utility token.

O Chiliz é um novo tipo de utility token, chamado de fan token. Associado majoritariamente a times de futebol, seus detentores podem votar no uniforme da equipe, escolher as músicas do estádio, fazer desafios aos jogadores e até mesmo ter acesso ao banco de reservas, bem ao gosto do torcedor mais fanático. O token é o combustível da plataforma Socios.com e é uma evolução do programa sócio torcedor dos clubes. Clubes como o PSG, Barcelona e Juventus estão na plataforma.

O aplicativo para Google Play e iOS da plataforma Socios.com funciona como uma wallet. Inclusive, é através deste aplicativo os clubes que os torcedores podem votar nas opções dadas pelos clubes. Estes, por sua vez, ofertam produtos e serviços aos detentores dos tokens.

O Chiliz está a venda nas exchanges BinanceHuobi GlobalOKExUpbit, e HBTC.

Utility tokens têm…uma utilidade

Portanto, utility tokens são simplesmente moedas com aplicações específicas. Eles dão acesso futuro aos produtos ou serviços oferecidos por uma determinada empresa. Portanto, utility tokens não são ativos de especulação.

Outro exemplo de utility token é o BRZ, a primeira stablecoin pareada com o real brasileiro e que permitirá aos brasileiros acessar exchanges internacionais sem se expor ao bitcoin. Mas existem diversos outros, como o ether, neo e dash. O ether permite fazer transações com smart contracts na blockchain da Ethereum.

+Leia também: 6 projetos de stablecoins recém-lançados mundialmente

Utility tokens não são um valor mobiliário ou ativo financeiro. Por isso, não sofrem interferência na emissão ou no funcionamento por parte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou qualquer outro órgão equivalente no mundo.

Esse tipo de token pode ser emitido, por exemplo, por uma empresa que vai lançar um jogo eletrônico meses depois e aceitar esses tokens como pagamento por serviços ou produtos que ela mesma desenvolve.

Coin tokens são usados como se fossem dinheiro

Coin tokens ou moedas digitais são geralmente usadas da mesma forma que uma moeda da vida real é – como dinheiro. Você pode pensar em coin tokens como o bitcoin, litecoin e monero como as moedas em sua carteira ou cofrinho. Na maior parte das vezes, eles não servem a nenhum outro propósito – ao contrário dos utility tokens –  além de serem usados como dinheiro.

Por exemplo, os coin tokens podem ser usados para:

  • Para transferir dinheiro
  • Como uma reserva de valor
  • Como unidade de conta (você pode, por exemplo, precificar produtos em bitcoins)

Security tokens estão sujeitos às leis federais

Security tokens são ativos digitais cujo valor deriva de um ativo externo que pode ser negociado. Portanto, esses tokens estão sujeitos às leis federais que regem os valores mobiliários. O não cumprimento destes regulamentos pode resultar em graves conseqüências, incluindo penalidades e potencial impedimento de um projeto continuar a ser desenvolvido.

Security tokens

Por outro lado, security tokens podem oferecer uma ampla variedade de aplicações, se o emissor cumprir com todos os requisitos da regulação. O mais promissor desses recursos é a capacidade de oferecer tokens representando digitalmente ações de uma empresa.

Em resumo, security tokens são ativos de investimento ou especulação. Portanto, são destinados a investidores que esperam obter uma valorização desses ativos. Os detentores recebem, por exemplo, dividendos dos seus investimentos em forma de tokens adicionais.

Conseguiu entender as diferenças entre coin tokens, utility tokens e security tokens?

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
Um token pareado ao Real Brasileiro