Em 29 de março, a Visa anunciou que passou a aceitar a criptomoeda USD Coin como um dos seus meios de pagamento. No dia seguinte, o PayPal divulgou sua nova função, que permite aos usuários norte-americanos o uso do saldo em criptomoedas (bitcoin, ethereum e litecoin) para liquidações na plataforma.

Não há dúvidas de que as iniciativas contribuem para a popularização e maior aceitação dos criptoativos como meios de pagamento. “O fato da USD passar a ser aceita pela Visa mostra que agora as stablecoins fazem parte do mainstream financeiro mundial. A Visa é o principal meio de pagamento no mundo”, avalia o CEO da Transfero, Thiago Cesar. “Isso demonstra que a empresa acredita na tecnologia blockchain e faz com que a processadora se integre a um mercado que movimenta bilhões por ano”, completa.

Projeto-piloto da Visa

No caso da Visa, a iniciativa faz parte de um projeto-piloto com a plataforma de pagamento e criptografia Crypto.com. Assim, quando um usuário compra um café, por exemplo, a moeda digital é convertida em dinheiro tradicional.

A USD Coin é uma stablecoin, ou seja, uma criptomoeda com preço indexado em outro ativo (no caso, o dólar americano), o que reduz a sua volatilidade. A empresa realizará as transações através do blockchain da Ethereum e, após o anúncio, o preço de várias criptomoedas, como o ether (ETH) e o bitcoin (BTC), disparou.

Em comunicado, Jack Forestell, vice-presidente e chefe de produtos da Visa, destacou que “as fintechs criptonativas querem parceiros que entendam seu negócio e as complexidades dos fatores de forma da moeda digital. O anúncio de hoje é um grande marco em nossa capacidade de atender às necessidades de fintechs que administram seu negócio em stablecoins ou criptomoedas, e é realmente uma extensão do que fazemos todos os dias, facilitando pagamentos seguros nas diferentes moedas do mundo”.

Para Thiago, da Transfero, a Visa está olhando para o futuro e enxergando alternativas para a troca de moedas fiduciárias. “A notícia é muito positiva e, sem dúvida, impacta muito o mercado crypto, já que o usuário comum agora vai poder interagir com os stablecoins por meio da rede de pagamentos da Visa”, destaca.

PayPal também libera criptomoedas como meio de pagamento

Logo depois da Visa, o PayPal também anunciou que passará a aceitar pagamentos com Bitcoin, Ethereum e Litecoin, nos EUA. Para usar a modalidade, é preciso acessar a função “checkout with crypto”, que ficou disponível a partir de 30 de março. 

A vantagem é que será possível converter o saldo do usuário em criptomoedas para dólar, sem a necessidade de taxas de transação. Assim, para uma compra fora dos EUA, se um lojista não aceitar dólares, o PayPal converte a quantia para moeda local

Em outubro do ano passado, a empresa já havia permitido que usuários usassem a plataforma para comprar e vender criptomoedas.

Iniciativas sinalizam mudanças importantes para os meios de pagamento tradicionais

Os anúncios das empresas aconteceram em um momento em que há rumores sobre a possibilidade de a Mastercard também começar a aceitar criptomoedas para pagamentos. 

Outras grandes empresas, como a Tesla, já aceitam criptomoedas em suas transações. Hoje, nos EUA, já é possível comprar um veículo elétrico da empresa usando esse meio de pagamento. Em breve, talvez valores menores possam ser pagos da mesma maneira – aliás, é isso que a Visa e o PayPal sinalizam: maior aceitação, simplicidade no uso e facilidade de conversão. 

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
Um token pareado ao Real Brasileiro