Quem quer investir em bitcoins encontra a criptomoeda à venda em diversas exchanges. E como acontece com moedas em casas de câmbio, por exemplo, o preço varia entre as plataformas. Assim, o mero ato de comprar e vender bitcoins pode se transformar em uma oportunidade de investimento.

O investidor que acompanhar o preço do bitcoin em diferentes exchanges, pode optar por manter seus tokens em mais de uma plataforma. Assim, quando a criptomoeda estiver mais cara em uma delas, ele pode comprar o bitcoin onde estiver mais barato e transferir para aquela com valor superior.

Pelo menos dois sites permitem acompanhar o preço da criptomoeda líder em várias exchanges ao mesmo tempo: o Cointrader Monitor e o Biscoint. Assim, facilitam a tarefa de quem quer investir em bitcoins usando esse recurso de ter os tokens em mais de uma plataforma.

Investir em bitcoin apostando na diferença do preço exige atenção a taxa e demora

Para se ter uma ideia do impacto que a diferença de plataformas pode trazer para o preço do bitcoin, quando esta reportagem foi escrita, o valor da criptomoeda variava de algo em torno dos R$ 255,7 mil no bitPreço a mais de R$ 261 mil no CryptoMarket. Ou seja, uma diferença de R$ 5 mil por bitcoin. Vale lembrar que o bitcoin tem preço volátil, que muda rapidamente, e que a essa variação entre plataformas pode ser bem menor.

Contudo, quem quiser investir em bitcoins aproveitando essas diferenças precisa estar atento a dois pontos importantes. O primeiro é que as transferências não são instantâneas e podem demorar, conforme a blockchain em que a exchange esteja. Além disso, na hora de avaliar se aquele investimento faz sentido, é importante levar em conta não apenas o preço do bitcoin nas duas plataformas, mas também a taxa do minerador — que incide sobre todas as operações do tipo.

A variação de preços não acontece apenas com o bitcoin, portanto, pode ser uma oportunidade de investimento também com outros tipos de criptoativos.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
Ativos alternativos crescem como opções de diversificação de portfólio