Coreia do Sul quer supervisionar de perto as criptomoedas

Coreia do Sul quer supervisionar de perto as criptomoedas

Órgão de regulamentação financeira da Coreia do Sul planeja regular exchanges crypto de forma direta; atualmente a regulamentação é indireta por meio de orientações dadas aos bancos

Coreia do Sul quer supervisionar de perto as criptomoedas

Por Redação

A Unidade de Inteligência Financeira (FIU), agência financeira da Coreia do Sul que funciona sob a Comissão de Serviços Financeiros (FSC) do país, está planejando supervisionar mais de perto as transações de criptomoedas.

O órgão afirmou recentemente que vai regular diretamente as plataformas de negociação de criptoativos. De acordo com relatório do Business Korea, atualmente elas são indiretamente controladas através de orientações dadas aos bancos.

No documento, o diretor de administração e planejamento da FIU, Lee Tae-hoon, afirmou que o governo coreano estabelecerá um sistema de licenciamento para exchanges, como recomendado recentemente em novos padrões internacionais emitidos pela Financial Action Task Force (GAFI). Segundo ele, a medida aumentaria a transparência das transações de criptomoeda.

“Se uma emenda à Lei sobre Relatórios e Uso de Certas Informações sobre Transações Financeiras, que reflete os padrões internacionais do FATF para exchanges for aprovada da Assembléia Nacional, será possível impedir a lavagem de dinheiro por meio de criptomoedas”, explicou Lee em audiência pública sobre transparência crypto na Assembleia Nacional.

Regulação na Coreia do Sul busca aumentar transparência nas transações

De acordo com Lee, a aprovação da emenda na Coreia do Sul tornaria as legislações mais eficazes, ao passar da atual regulamentação indireta através dos bancos comerciais para a regulamentação direta.

Além disso, de acordo com um post no blog da Argos, a alteração também pode trazer a polêmica “regra de viagem”. Isso significa que as bolsas teriam que compartilhar informações sobre as partes ao fazer transações. Dessa forma, representaria um grande problema para as exchanges, já que as transações crypto não incluem dados de identificação, diz o post.