O governo da Coreia do Sul quer regulamentar os ativos digitais. Entre as medidas, está a possibilidade de as instituições financeiras sul-coreanas oferecerem produtos como derivativos crypto – opções de compra e venda de ativos digitais, por exemplo.

A proposta foi anunciada em novo relatório do Comitê Presidencial da Quarta Revolução Industrial (PCFIR). As medidas podem aproximar investidores institucionais – fundos de pensão, family offices, gestores de fundos – dos ativos digitais.

No comunicado, o órgão afirma que não é mais possível parar o comércio de ativos digitais, diante do grande crescimento deste mercado em todo o mundo. O comitê disse ainda que o governo pode seguir a linha de regulação dos Estados Unidos e sancionar produtos, como contratos futuros vinculados ao bitcoin.

Desse modo, as instituições sul coreanas também poderão oferecer outros serviços como negociação de criptoativos. “O governo coreano deve gradualmente permitir que investidores institucionais negociem ativos digitais criptografados e promovam mesas de balcão (OTC) dedicadas ao comércio de investidores institucionais”, afirmou o comitê no relatório.

Ativos digitais devem ganhar impulso na Coreia do Sul

Nesse projeto de regulamentação, as fintechs devem ser as responsáveis por desenvolver soluções de custódia. O objetivo, com isso, é evitar a dependência de custodiantes estrangeiros. Além disso, as exchanges devem operar sob algum tipo de licença ou orientação.

Atualmente, o setor é controlado de forma mais leve por meio de orientações dadas aos bancos. Um órgão fiscalizador financeiro sul-coreano sob a Comissão de Serviços Financeiros também irá supervisionar diretamente as exchanges.

Há ainda outras sugestões do PCFIR. Uma delas indica que o bitcoin possa ser listado diretamente no Korea Exchange, a bolsa de valores do país, e que os termos “criptomoeda” e “moeda virtual” possam ser reunidos sob o termo abrangente criptoativos. O PCFIR foi criado em 2017 para aconselhar sobre políticas relacionadas às novas tecnologias e ajudar a estabelecer as bases para novos setores e serviços relacionados.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.