O que são fundos de investimento de criptomoedas? São veículos de investimento que se assemelham aos investimentos tradicionais, como fundos de hedge, mas são compostos inteiramente de ativos digitais. No fim de 2019, segundo a PwC, esses fundos administravam por volta de US$ 2 bilhões.

Quais são os tipos de fundos de criptomoedas?

Basicamente, existem três tipos de fundos de investimento em criptomoedas: fundos de hedge, de venture capital e de private equity. O Crypto Fund Research contabiliza 804 fundos de investimento em criptomoedas. Desses, 53% são de venture capital, 44% de hedge e 3% de private equity.

Qual é a diferença entre esses fundos?

Fundos de venture capital são voltados para a compra de empresas, já os de hedge são carteiras gerenciadas que visam a reduzir os riscos de mercado, combinando diferentes ativos e estratégias. Os fundos de investimento da Transfero Swiss são fundos de hedge.

Quais são os melhores fundos de investimento em criptomoedas?

A maior gestora de fundos de venture capital de criptomoedas do mercado é a Pantera Capital, seguida do Digital Currency Group e Polychain Capital.  Já no caso dos hedge funds, a maior gestora é a Grayscale Investments, seguida da Pantera Capital e Passport Capital.

Quais são as principais gestoras brasileiras de fundos de investimento em criptomoedas?

No Brasil, as maiores gestoras de fundos de investimentos de criptomoedas são a Transfero, a Hashdex e a BLP. Sendo que a Transfero é a única com fundos com gestão ativa e que combinam ativos com o ouro em seu portfólio. Eles são voltados para investidores profissionais e qualificados.


Qualquer pessoa pode investir em fundos de investimento em criptomoedas?

Via de regra, esses fundos são voltados para investidores institucionais ou qualificados, requerendo investimentos mínimos bastante vultosos. Mas existem fundos abertos para pessoas físicas e com quantias acessíveis a pequenos investidores.

Quais são as estratégias usadas por esses fundos?

As estratégias são variadas, mas pode-se destacar:

  • Long/short equity, na qual a gestora compra ativos que acredita que estão desvalorizados e vende os que acredita que estão sobrevalorizados;
  • Mercado neutro, na qual o gestor equilibra posições de long e short com o objetivo de reduzir a volatilidade e obter retornos;
  • Arbitragem, na qual o gestor busca diferença de preços entre exchanges e obter rentabilidade em cima delas.

É seguro investir nesses fundos?

Como uma grande parte dos fundos não é regulada, é importante buscar o máximo de informação dos gestores. Por isso, é importante verificar a transparência das informações, como está sendo feita a gestão e o histórico do gestor.

Quanto rende um fundo de investimento em criptomoedas?

O rendimento dos fundos de investimento de criptomoedas varia muito. Mas segundo a PwC, o rendimento médio em 2019 foi de 33% a 58%, dependendo da estratégia utilizada. Em grande parte, esse desempenho se deve à valorização dos ativos digitais no ano passado.

Como funcionam os fundos de investimento em criptomoedas?

Via de regra, o gestor aloca os recursos captados em diferentes ativos, normalmente ativos digitais ou que replicam um investimento do mundo real, com o ouro, por exemplo. A alocação sempre está limitada às regras, parâmetros e limites estabelecidos no regulamento do fundo.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.