Como a blockchain está sendo utilizada pela medicina

Como a blockchain está sendo utilizada pela medicina

Área da saúde também está utilizando a blockchain como forma de garantir a segurança de dados entre médico e paciente, corpo clínico e planos de saúde e outras relações dentro deste cenário

Como a blockchain está sendo utilizada pela medicina

Por Redação

Muito ouvimos falar da blockchain como o sistema de registro de transações e saldos das criptomoedas. Mas a tecnologia parece estar ganhando novos horizontes. A medicina também está utilizando a blockchain como forma de garantir a segurança de dados entre médico e paciente, corpo clínico e planos de saúde e outras relações dentro deste cenário.

Isso porque, hoje, dados sobre a saúde são monitorados a partir de inúmeras fontes, como wearables, testes genéticos, exames, aplicativos de bem-estar, e a lista continua.

Como funciona a blockchain para a medicina?

De que forma a tecnologia pode auxiliar a medicina? A ideia é que as plataformas abriguem uma espécie de prontuário digital único. Assim, o paciente teria todo o seu histórico de exames, enfermidades e demais informações sobre a sua saúde em um só lugar.

Atualmente, já existem uma série de tecnologias que permitiriam esse tipo de funcionalidade. No entanto, a tecnologia blockchain é a que vem despertando mais interesse da comunidade médica.

Empresa é pioneira no assunto

Alguns exemplos e iniciativas já começam a aparecer. A empresa Britânica Medicalchain atua com o conceito “seja dono da sua saúde”. Ela oferece aos pacientes a tecnologia para armazenar o seu histórico médico e disponibilizar da forma que preferir.

Outra empresa que vem inovando é a eslovena Iryo, que também oferece a tecnologia para os pacientes. A companhia destaca que é possível acessar as informações de qualquer lugar do mundo. Com isso, a blockchain torna viagens e deslocamentos mais seguros para quem precisa de cuidados médicos recorrentes.

Há também um exemplo prático da mudança que provavelmente presenciaremos em breve. As cadernetas de vacinação que guardamos para nossos filhos ou que estão amareladas no fundo de uma gaveta deixarão de existir.