Recentemente o mercado cripto enfrentou uma grande instabilidade provocada pela TerraUSD (UST). Com o colapso da stablecoin algorítmica, outros projetos de criptoativos com preço estável foram afetados, como a Tether (USDT), por exemplo.

Considerada a maior stablecoin em volume de capitalização do mercado cripto, a USDT sofreu os efeitos colaterais do colapso vivenciado pela UST nas últimas semanas.

Sendo assim, US$ 7,4 bilhões em reservas da USDT foram retiradas de circulação. Desde a semana passada, a capitalização da tether caiu de US$ 83 bilhões para cerca de US$ 75 bilhões.

Tether é afetada por UST

Na última semana o preço da UST perdeu a paridade com o dólar. A estabilidade do preço da stablecoin era mantida por um algoritmo desenvolvido pela Luna Foundation Guard.

Com o colapso da UST, outras stablecoins sofreram perdas no mercado. Enquanto a UST caía abaixo de US$ 0,10 nos últimos dias, a USDT perdeu 5% de valor no mercado cripto.

Essa variação foi suficiente para um grande resgate acontecer na rede Tether. Com o depósito de US$ 1 para cada unidade de USDT, um resgate na rede fez a oferta da stablecoin diminuir quase 10%.

Somente no dia 12 de maio, por exemplo, mais de US$ 2 bilhões foram resgatados da rede Tether, por investidores que utilizavam a stablecoin com preço atrelado ao dólar.

Diferentemente da UST, a tether é uma stablecoin centralizada e possui uma reserva de dólar com paridade 1:1 com o USDT. Enquanto o resgate na rede Tether acontecia, outras stablecoins experimentaram um pequeno crescimento no mercado cripto, como a BUSD, a USDC e a DAI.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.