A criptomoeda cardano (ADA) aposta nas comunidades científicas em busca de soluções para as principais limitações das criptomoedas existentes atualmente no mercado. Atualmente na sexta posição entre as criptomoedas de maior marketcap, a cardano estava sendo negociada a US$ 1,21 no momento da atualização desta matéria. Seu valor de mercado está na casa dos US$ 39 bilhões e o volume de negociação diário alcança US$ 1,6 bilhão. Atualmente, ela representa 2% do mercado, com um suprimento circulante de 31,9 bilhões de unidades.

“Com um projeto voltado para o longo prazo e grande apreço pelo poder da ciência e engenharia, a cardano se mantém desde 2017 como um dos maiores projetos do mercado”, destaca o Head of Asset Management da Transfero, Lucas Xisto. Hoje, ela está entre as dez principais criptomoedas do mercado.

O analista destaca ainda a evolução do projeto ao longo do ano e sua descentralização. “A dinâmica de soft forks e hard forks, fortemente incentivada pelos criadores do projeto quando necessário, traz no longo prazo uma governança múltipla e que lembra a descentralização do Bitcoin, apesar de termos, no caso da cardano, o consenso por proof-of-stake”, destaca Xisto. Esse mecanismo consome menos energia que o algoritmo proof-of-work, que é utilizado pelo Bitcoin.

O que é o Cardano?

Cardano é uma blockchain proof-of-stake que se autodenomina aberta e inclusiva. Em sua página, ela resume que sua visão de tecnologia pretende “desafiar o antigo e ativar uma nova era de inovação sustentável e globalmente distribuída”.

Fundada em 2017, a empresa, que criou o token ADA, afirma ser a primeira plataforma de blockchain construída por meio de pesquisas revisadas por pares. Isso permite que ela seja segura para proteger os dados, escalável acomodar sistemas globais e robusta o suficiente para suportar mudanças fundamentais.

A tecnologia cardano é a terceira geração de criptomoedas, sendo que a primeira é o bitcoin e a segunda o ethereum. Um de seus diferenciais é que o token ADA é projetado para garantir que os seus proprietários participem na operação da rede. Ou seja, quem tem a criptomoeda possui direito de voto em qualquer proposta de mudança do software.

O nome do token, ADA, é uma referência à matemática Ada Lovelace, filha do poeta Lord Byron e reconhecida como a primeira programadora de computadores.

Onde comprar o token ADA?

O ADA pode ser comprado nas principais exchanges internacionais, como Binance, Coinbase, Houbi, Kucoin, Kraken e Bittrex, essa última inclusive utilizando BRZ Token como entrada de fundos na exchange.  No Brasil, para comprar em real, as opções são Binance e NovaDax (com real ou BRZ).

Quem é o fundador do Cardano?

Cardano foi fundada pelo CEO da IOHK, Charles Hoskinson, que também foi um dos criadores da ethereum. Além empreender na área de tecnologia, Hoskinson é um matemático.

Em 2020, sua empresa de tecnologia doou o valor de U$500 mil em ADA para a Pesquisa em Blockchain e o Laboratório de Desenvolvimento da Universidade de Wyoming.

Quais as perspectivas para o Cardano?

A tendência é de valorização. Em 16 de março, a corretora americana Coinbase começou a dar suporte à criptomoeda em sua plataforma Pro para traders e, após o anúncio, o ativo teve uma valorização de 18%.

Um dia antes, em 15 de março, o ADA foi adicionado também ao terminal Bloomberg, uma plataforma usada por traders profissionais, o que facilita a exposição da criptomoeda a novos investidores potenciais.

Vale explicar que o projeto Cardano está passando por uma atualização em fases, que são Byron, Shelley, Goguen, Basho e Voltaire. A fase Goguen, que dará aos usuários a oportunidade de criar e executar contratos inteligentes na própria rede, está prevista para os próximos meses.

Outro bom sinal para os investidores é que a Cardano recebeu um aporte da FD7 Ventures, que recentemente destinou US$ 250 milhões para financiar empresas que criam soluções em Cardano e Polkadot.

As inovações tecnológicas trazidas pela cardano

Dentre as criptomoedas do mercado, o ativo se destaca pela sua busca constante pela descentralização. Dessa forma, ela evita que mineradores formem grupos com o objetivo de tentar dominar ou manipular o mercado. Para isso, utiliza somente o protocolo proof-of-stake (PoS), no qual os mineradores não disputam pelo poder computacional. Ao invés disso, são sorteadas as máquinas que serão os nós validadores dos blocos.

Uma criptomoeda com uma forte comunidade de apoiadores

O ICO da Fundação Cardano já demonstrava o grande apoio que a proposta teria. A oferta arrecadou US$ 62 milhões para o início do desenvolvimento do projeto open source. Além disso, o projeto está entre os mais ativos do Github, demonstrando o valor da proposta.

O desenvolvimento busca envolver pesquisadores de universidades de diversos países no mundo em busca de soluções de otimização tecnológica. Dentre as universidades envolvidas estão a Tokyo Tech, Oxford, Universidade de Edinburgo e a Universidade de Atenas. Além disso, há também a colaboração com empresas como Metaps Plus e Sirin Labs.

Por quê a cardano é uma criptomoeda promissora?

Se preparando para o mercado financeiro, Fundação Cardano busca estar em conformidade com as regulações vigentes. Além disso, a fundação realizou uma parceria com o Ministério de Ciência da Etiópia e esteve com legisladores de Taiwan. Dessa forma, a criptomoeda tem potencial para dominar o mercado crypto nos próximos anos.

 

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
Ativos alternativos crescem como opções de diversificação de portfólio