O BTG Pactual vai lançar em outubro a plataforma Mynt para aplicações diretas em criptoativos, desenvolvida pelo próprio banco. A Mynt será acoplada ao BTG Digital, que é a plataforma de investimentos para o varejo da instituição financeira.

Hoje, só é possível comprar criptoativos de forma regulada via fundos de investimentos ou por ETFs, que espelham índices listados em Bolsa.

Inicialmente a plataforma venderá apenas bitcoin (BTC) e ether (ETH). Mas a ideia é acrescentar gradualmente novos criptoativos.

Ainda não existe uma data de lançamento, segundo informações do Estadão.

Atualmente, fundos de investimentos já são disponibilizados por instituições como a XP, C6, Nubank e Inter.

ETFs e fundos de investimento de criptoativos no Brasil

No total, no Brasil já são mais de 100 opções de fundos, sem contar os ETFs. Entre estes, destacam-se o HASH11 e QBTC11.

O HASH11 está ligado ao Nasdaq Crypto Index, índice criado pela parceria da Nasdaq com a Hashdex, e oferece oito criptoativos em seu portfólio (bitcoin, ethereum, litecoin, chainlink, bitcoin cash, stellar, filecoin e uniswap).

O QBTC11 estreou na B3 em 23 de junho. Quem investir, terá exposição 100% em bitcoin. Ele é o segundo ETF de bitcoin do mundo, depois do QBTCC, negociado no Canadá, e o primeiro da América Latina.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.