A criptomoeda brasileira BRZ teve os pares BRZ/BTC e BRZ/USDT, tanto nas versões ERC-20 quanto Solana (SPL), listados na exchange CoinBene, uma das oito maiores do mundo, segundo o CoinMarketCap. Ao todo, conta com mais de 10 milhões de usuários ativos por mês em mais de 185 países e amplia a presença do BRZ na Ásia. As transações e saques já estão abertas aos investidores.

“Com essa expansão, o BRZ passa a dar ao investidor de criptoativos acesso a uma plataforma que negocia diariamente um volume financeiro de US$ 3 bilhões comprometida com as melhores práticas de compliance e licenciada nos Estados Unidos e Singapura. Além disso, a parceria dá à CoinBene acesso ao crescente mercado brasieiro”, afirma o CEO da Transfero, Thiago Cesar.

Por meio da parceria, brasileiros poderão transferir recursos diretos da sua conta bancária para a plataforma e convertê-los em BRZ para a negociação contra outros criptoativos. A CoinBene tem mais de 200 pares spot de criptoativos listados, além de contratos perpétuos, serviço de negociação de margem e minifundos.

O BRZ é a principal criptomoeda pareada ao real e a primeira stablecoin pareada a uma moeda de um país emergente. Integrado às blockchains da Ethereum, Solana, Stellar, Algorand e Binance Smart Chain, tem um volume de operações mensal superior a R$ 320 milhões, tendo alcançado mais de 1 bilhão de tokens em circulação. É uma das fundadoras da Stablecoin Alliance, organização destinada a promover o desenvolvimento das stablecoins no mundo. E, em parceria com a Solana Foundation, patrocina um hackathon que vai distribuir até US$ 1 milhão em premiações. 

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.
Um token pareado ao Real Brasileiro