O BRZ foi listado em uma das exchanges mais importantes do mundo, a Bitget. A listagem permite que os brasileiros mantenham saldos em reais em uma plataforma internacional e acessem centenas de pares de criptoativos, com transferência diretamente via Pix, o sistema brasileiro de transferências rápidas. Ao mesmo tempo, o BRZ permite que a Bitget acesse o crescente mercado brasileiro de cripto de forma orgânica.

“Com essa parceria, a Bitget facilita a comunicação do usuário brasileiro com a plataforma, permitindo depósitos automáticos na carteira do usuário na exchange”, pontua o gerente de Marketing para a América Latina da Bitget, Caio Nascimento. “A grande vantagem para o usuário brasileiro é poder manter na exchange uma moeda pareada à sua moeda nacional, em vez de ficar exposto ao dólar ou a outra criptomoeda”, complementa.

A base de usuários da Bitget é superior a dois milhões de usuários e o volume de negociação diário de futuros é de US$ 8 bilhões por dia em média. A plataforma negocia 294 pares spot e 69 perpétuos, além de oferecer aos investidores a inovadora modalidade copy trade — na qual o usuário tem acesso à estratégia de traders profissionais para obter rendimentos.

Expansão futura para rede Solana

Inicialmente o BRZ será negociado no formato ERC-20, mas há previsão de, em breve, integrar com a blockchain Solana. “Esse é mais um importante avanço do BRZ, ao ser listado em uma plataforma tão importante e inovadora. Acreditamos que as stablecoins terão cada vez mais esse papel de democratização de acesso do mercado de cripto”, afirma Carlos Eduardo Russo, CFO da Transfero.

O BRZ é a maior stablecoin não pareada ao dólar do mundo. Integrado às blockchains da Ethereum, Solana, Stellar, Algorand e Binance Smart Chain, permite que usuários acessem dezenas de plataformas nacionais e internacionais e mantenham saldos em reais nessas plataformas.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.