Com a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, a 2%, os investimentos de renda fixa deixaram de ser uma opção atraente. Nesse cenário, os ativos digitais oferecem uma oportunidade de lucro alto, explicou Fabricio Tota, diretor de Novos Negócios do Mercado Bitcoin, em palestra no Fórum Blockmaster.

Um desses ativos são os chamados security tokens. Eles transformam bem reais em um ativo digital cujas quotas podem ser compradas, o que é conhecido como tokenização. Investir em um imóvel exigiria, tradicionalmente, um capital inicial alto para comprar, por exemplo, um galpão. Depois, seria necessário esperar o interesse de uma empresa por ele para vendê-lo com lucro. Contudo, com a tokenização, é possível comprar uma quota de um imóvel por um valor menor e depois auferir ganhos.

Vários tipos de ativos, além de imóveis, podem ser levados para o mundo digital. De dívidas a vinhos e itens de colecionador, explica Tota, que aponta a liquidez como outra vantagem da transformação de ativos em tokens.

Para checar a viabilidade, a Mercado Bitcoin fez alguns testes. Foram oferecidos dívidas de governos e quotas de consórcio. E o rendimento foi de até 20% ao ano, bem acima dos 5,96% que o CDI rendeu em 2019.

Ativos digitais oferecem oportunidade de diversificação

Portanto, eles dão ao pequeno investidor a chance de apostar em ativos antes restritos a investidores institucionais, como bancos ou grandes fundos. E também a possibilidade de diversificar seus investimentos. Isso porque oferecem opções em várias áreas e são alternativa aos produtos tradicionais.

Mas se aqui no Brasil pouco se fala sobre os security tokens, nos EUA este tipo de produto tem crescido. Segundo Alex Nascimento, fundador do Blockchain UCLA, a expectativa é que, em 2021, surjam de 10 a 20 ATSs naquele país. As ATSs são uma espécie de mercado digital que liga compradores a vendedores, sem a necessidade de recorrer a uma grande exchange.

Em sua palestra no fórum, Nascimento deu uma ideia de como está o mercado de security tokens nos EUA. O resort St. Regis, em Aspen, por exemplo, fez uma STO (oferta de security tokens) para obter recursos em 2018. Já a Nasdaq agora oferece soluções completas para STOs.

Cenário desses ativos pelo mundo

Assim, os ativos digitais vão se consolidando pelo mundo. Segundo o especialista, os EUA já consideram os tokens de ICOs (ofertas iniciais de moedas realizadas por empresas para levantar recursos) como securities. A União Europeia, por sua vez, definiu as melhores práticas para fintechs. E aplica as regras para criptoativos independentemente do país de origem do emissor de tokens. O pequeno Liechtenstein também oferece um ambiente favorável ao blockchain. Lá, há taxas reduzidas para investidores, emissores de tokens e ICOs.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.