O uso de stablecoins na Argentina cresceu na última semana. A procura pelo criptoativo aumentou até 300% nas exchanges, devido a renúncia do ministro da Economia, Martín Guzmán.

Ele pediu demissão do cargo no último sábado (2), o que afetou a cotação do peso argentino (ARS). Sendo assim, com o país enfrentando uma grave crise econômica, as stablecoins desempenharam um papel alternativo a moeda fiduciária do país.

De acordo com exchanges que operam na Argentina, o volume de negociação de stablecoins cresceu no final de semana. Esse aumento da procura pelo criptoativo acompanhou o pedido de demissão de Martin Guzmán e durou dois dias.

Em algumas plataformas, o volume negociado no final de semana aumentou até 300%. As stablecoins mais negociadas pelos argentinos foram a dai (DAI) e a tether (USDT).

Além de influenciar o preço do peso argentino diante do dólar, a saída do ministro da Economia afetou a cotação da moeda fiduciária em transações com stablecoins no mercado cripto.

Assim como a DAI, o preço do USDT subiu 15% no último final de semana, acompanhando a situação de insegurança econômica da Argentina. Antes do ministro renunciar, cada stablecoin era negociada por volta de 245 ARS.

No entanto, esse valor aumentou para 280 ARS, com a desvalorização do peso argentino. Logo após a renúncia, esse preço saltou para 303 ARS. No total, o país acumula atualmente uma inflação projetada de 60,7% no ano.

Caso tenha algum comentário ou contribuição para o PanoramaCrypto, entre em contato com a nossa Redação.